15.4.08

De caso com a poesia

Ciclo das águas
(Christiani Rodrigues)

Deixo-me afluir
entre-versos

navego letras
permito correntezas
de frases, vírgulas e pontos

livres de obstáculos
palavras escorrem nas águas claras
de um rio caudalosamente molhado

beiro seixos, movimento cascalhos
removo pedras de diamantes,
provindas de marés conflitantes

como se mexe uma xícara de café
meu ser ali desemboca

5 comentários:

J Alexandre Sartorelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Georgia disse...

Minha querida!!!

Quando você resolve escrever poemas eu fico de ponta a cabeca de tao lindos que sao.

Eu venho te lembrar da blogagem,rs.

É já nessa sexta-feira.

Beijao

°Renata° disse...

Quanta sensibilidade.
Lindo e envolvente.
Parabéns

Um beijo

Wagner Marques disse...

um poema como uma flor!

abraço,

sempre bom vir aqui!

J Alexandre Sartorelli disse...

O rio não morre no mar
Por que no mar há movimento.
Seu poema não cessa
E torna suave o tempo.