8.6.10

Calça saruel!? É cruel!

Acredito eu que nunca escrevi nada sobre moda neste blog. Não por falta de assunto, e sim porque tenho urgência em outros temas, ou até nem tão urgentes assim, mas falar de moda, ainda não sinto vontade, apesar de estar sempre antenada em estilos e cia, e de sentir prazer em me apresentar bem.

Creio que moda é criada para dar lucro à indústria que move a moda. E com esta fé que remove montanhas de milhões e a criatividade de seus papas, sempre haverá novidades, detalhes, modelos que vão e que voltam para quem estiver interessado em gastar seus tostões.

E por falar nisso, (falar não, escrever!!) , o que você me diria da tal calça saruel? (Ah, me perdoa vai, se é o teu estilo), mas ó, acho que a calça foi desenhada pelo estilista do capeta, porque, ó, a bicha é fei dimais!, como diriam os mineirinhos.

Eu não entendo (disse: NÃO ENTENDO! Apesar de respeitar o mal gosto alheio, apenas dou risadas mentais quando as vejo...hehehehe) o que algumas mulheres viram num monte de pano no meio das pernas, parecendo um saco mal costurado ou um local para se guardar fraldas geriátricas com gel, cheiiinhas de xixi? Já viram bebês que as mães não trocam as fraldas porque resolveram que elas durariam 24 hs de estoque de xixi, assim é a tal. E mais, feminilidade zero e ainda encurta as pernas das coitadinhas das mulheres.

E os vestidos saruel? E o macaquinho saruel? Que cruel!!! Ninguém fica bem dentro deles (se alguém falar que você ficou bonita, olha, foi a vendedora que queria a comissão, tolinha!). E as gordinhas que as usam? Me faltam as palavras dentro do meu cerébro e do meu peito para expressar algo tão ... sem comentários!! Se você me disser, é o conforto ou o estilo, vou te dizer que posso não entender muito de moda, mas entendo de coisas bonitas e femininas.

E de onde surgiu a cruel?

Veio do planeta Marte e na Terra, ela é muito usada na região africana, especialmente Marrocos e deriva de outros dois modelos de calças: a johdpur e dhoti - de amplo volume entre as pernas. Acredita-se também que era utilizada em trajes religiosos ( não falei que só poderia ter sido criado em outro mundo!), desde a Idade Média, numa região peculiarmente devota. Em suas regiões de origem, a calça é feita de algodão ou seda e usada em cores neutras.

Também chamada de Drop-crotch, está entre nós desde 2006 por conta dos desfiles de Marc Jacobs, Givenchy e Vivienne Westwood. E de lá pra cá, ganhou variações e comprimentos diferentes além de detalhes como tecidos, estampas, zíperes, botões e elástico.

Bom...se o importante é ser feliz, como dizem, assim seja...mas, ó...coitadinha das mulheres que compõem a massa popular! Sim, porque ela caiu no (mal) gosto da massa feminina. Pegaram pesado dessa vez com a história de moda, fizeram-nas acreditar que era belo e agora ninguém tira da cabecinha delas a infeliz da calça saruel.

Veja com seus próprios olhos e conclua:


Macaquinho das pobrezinhas das mulheres!
Fim de semana saruel, rende 48 hs do fraldão geriátrico

Várias adaptações
Modelito básico. Livrai-me!



6 comentários:

Amanda e Jorge Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda disse...

Odeeeeeio calça Saruel... não usaria nem por um decreto !

Anônimo disse...

Não usaria nem pra dormir sozinha...hehehehehe

Camila Fuentes

Kakah* disse...

HAHA
gostei rsrs

Sii cuidaa
bJINHUSS

Anônimo disse...

Gosto é gosto né? Eu particulamente tbm não gosto, mais existem pessoas que adoram, e devemos respeitar o gosto de cada um, se vc não gosta o problema é seu, ninguem tem nada haver com isso. Deixa sua opinião pra vc, tá? fica a dica!

Chris Rodrigues disse...

Ao amigo (a) anônima...

queridinho, queridinha...não sei se você sabe, mas para isso existem blogs, eles expressam a opinião dos autores.

O que eu não gostar ou gostar, e certamente por liberdade de expressão que tenho neste país, dentro dos limites quenão ofenda a ninguém, eu vou dizer sempre que eu achar que devo dizer.

Por exemplo, se quer saber, eu adoro a covardia das postagens anônimas...manda mais que é legal!

Christiani Rodrigues